Arquivo

Textos com Etiquetas ‘Teclado’

Configurando teclado em inglês no Ubuntu (e com cedilha)

14 de agosto de 2009

Estou rodando uma imagem do Ubuntu 8.10, com GNOME 2.24.1, em uma VMware Player 2.5.2 no Windows XP, utilizando um teclado Genius (ximbica por sinal) padrão ABNT2.

Atualização em 29/08/2009: esses passos de configuração também funcionam com o Ubuntu 9.04.

A configuração de teclado dessa imagem estava com o layout ABNT2. Eu particularmente não gosto desse layout, prefiro utilizar o layout inglês internacional, até mesmo se eu estiver usando um teclado no padrão ABNT2. Sempre usei esse layout de teclado para escrever código e não pretendo trocar por nada.

A primeira coisa que eu fiz foi adicionar o novo layout. Para isso, no menu da barra superior do Ubuntu, fui em System, Preferences, Keyboard. Na janela Keyboard Preferences, na aba Layouts, cliquei no botão em frente a Keyboard model, que estava com Brazilian ABNT 2. Na janela Choose a keyboard model, escolhi Generic na lista Vendors, Generic 105-key (Intl) PC, na lista Models e depois clique no botão OK. Voltando para a janela Keyboard Preferences, cliquei no botão “+” (ou Add…) que fica logo abaixo de Selected layouts e na janela Choose a Layout, na aba By country, escolhi United States na lista Country, USA International (with dead keys) na lista Variants e pressionei o botão Add. Novamente na janela Keyboard Preferences, na lista Selected layouts, escolhi USA International (with dead keys) como padrão. Depois disso cliquei no botão Close.

Em princípio era isso, então abri o gedit para testar. Estava tudo certo, com exceção da cedilha, que exibia um “c” com acento. Isso mesmo uma letra c com um acento agudo em cima.

Pesquisei, pesquisei, testei, pesquisei e descobri que uma alternativa era usar “ALT+,”. Hum… meio tosco.
Pesquisei, pesquisei, testei, pesquisei, testei, pesquisei, testei e consegui configurar a cedilha.

A solução foi editar o arquivo /usr/lib/gtk-2.0/2.10.0/immodule-files.d/libgtk2.0-0.immodules.

No terminal, usei o seguinte comando para editá-lo usando o Vim:

$ sudo vi /usr/lib/gtk-2.0/2.10.0/immodule-files.d/libgtk2.0-0.immodules.

E então editei a linha 6:
“cedilla” “Cedilla” “gtk20″ “/usr/share/locale” “az:ca:co:fr:gv:oc:pt:sq:tr:wa”

Acrescentando “en:”:
“cedilla” “Cedilla” “gtk20″ “/usr/share/locale” “az:ca:co:en:fr:gv:oc:pt:sq:tr:wa”

Ressaltando que para alterar esse arquivo eu precisei abrí-lo no VIM como sudo.

Fechei e abri de novo o gedit e a cedilha estava funcionando. No terminal não rolou, continuou aparecendo “c” com acento. Pelo menos por enquanto vou continuar utilizando o “ALT+,” quando tiver que usar cedilha no terminal.

Coloquei aqui todos os passos que fiz em detalhes, pois penei um pouco para descobrir como solucionar o problema e em várias soluções que encontrei, dependendo da versão do Ubuntu, os passos não são exatamente esses ou o arquivo para editar não é o mesmo. E é claro, eu espero que você não passe por isso se tiver o mesmo problema.

Referências:
http://www.vivaolinux.com.br/dica/Configurando-teclado-com-layout-americano-para-funcionar-simbolos-do-alfabeto-brasileiro/
http://www.danilocesar.com/blog/2007/05/19/cedilha-no-ubuntu-em-ingles/

Unix , , , ,

Cuide de suas ferramentas de trabalho

9 de maio de 2009

Estava dando uma folheada no manual do meu MacBook, e na seção “Last, but no least” encontrei pequenas dicas sobre ergonomia, algo que muitas vezes os programadores não dão muito importância.

Ao usar o teclado e o trackpad, seus ombros devem estar relaxados. O seu braço e o antebraço devem formar um ângulo pouco maior que 90 graus, com o seu pulso e sua mão quase em uma
linha reta.

Toque levemente o teclado ao digitar ou usar o trackpad e mantenha suas mãos e dedos relaxados. Evite rolar seus polegares sob as palmas das mãos.

Altere sempre a posição das mãos para evitar fatiga. Alguns usuários de computadores podem desenvolver desconfortos em suas mãos, pulsos ou braços após o uso intensivo sem intervalos.
Se começar a desenvolver uma dor crônica ou desconforto nas suas mãos, pulsos e ombros,
consulte um médico especialista qualificado.

Antes de entrar para o mundo da informática, trabalhei por uns 3 anos em uma empresa de pagers (ou beepers). Eram 6 horas por dia de atendimento telefônico digitando as mensagens a serem enviadas. Lá aprendi sobre LER (Lesão por esforço repetitivo) e vi muita gente fazendo tratamento fisioterapêutico para curar tendinite.

Eu digitava com os pulsos suspensos, sem apoiá-los em lugar nenhum. No final do dia estava com dores nos tendões, nervos e ligamentos. Depois que comecei a apoiar os braços para digitar, minha produtividade e velocidade aumentou. Com isso, aliado a alongamentos periódicos (por exemplo, de uma em uma hora, sentado mesmo), minhas dores nos braços se foram.

Eu já vi muitos programadores escreverem código de uma forma tensa, sem relaxar os ombros e os braços, com os pulsos suspensos, sem apoio.

Os pulsos devem ficar apoiados na mesa ou (melhor ainda) em um apoio ergonômico de teclado próprio.

Hoje em dia, alguns programadores ficam até 12 horas por dia na frente do computador, escrevendo código sem parar. Se você não relaxar quando está digitando, estará muito propenso a uma lesão crônica.

Algumas empresas, como a Locaweb, fornecem um programa de ginástica laboral para seus funcionários. Isso ajuda e muito, mas não adianta terminar a sessão de ginástica e voltar a sentar na frente do computador sem postura e movimentar os pulsos quando deveria movimentar somente os dedos.

Uma observação rápida: bons programadores evitam o usar o mouse, substituindo suas funções por teclas de atalho. Além de aumentar sua produtividade, ajudam na sua saúde também.

Você precisa cuidar do seu corpo: coluna, ombros, braços, pulsos, mãos, dedos. Se eles não funcionarem bem, como você irá transformar as idéias que surgem em sua mente em código?

O manual do MacBook pode ser baixado nos seguintes endereços:

Há também mais informações sobre ergonomia no site da Apple: http://www.apple.com/about/ergonomics.

Geral , , , , , ,