Arquivo

Textos com Etiquetas ‘Apresentações’

7Masters Ruby: 7 coisas que todo desenvolvedor Ruby on Rails deveria fazer

2 de julho de 2012

No dia 27 de junho de 2012 rolou no iMasters a edição Ruby do 7Masters, um evento que reúne 7 palestrantes, no qual cada um deles faz um apresentação de 7 minutos de um assunto relacionado ao tema do evento.

Eu participei com a apresentação “7 coisas que todo desenvolvedor Ruby on Rails deveria fazer”, mostrando dicas que irão ajudar a manter o código livre de erros, deixá-lo mais fácil de ser mantido e fazer com que os usuários da aplicação tenham uma experiência mais agradável ao utilizá-la.

 

Abaixo estão os slides de palestra:

 

Agradeço ao iMasters pela oportunidade e ao Alê Borba pelo convite.

Eventos, Ruby , , , , , ,

[fisl11] O que rolou de Ruby e Ruby on Rails

27 de julho de 2010

Como nas edições anteriores, esse ano no fisl11 tivemos várias palestras relacionadas com Ruby e Rails.

Quarta, 21 de julho

No primeiro dia, mostrei o uso do Spree, uma plataforma completa de comércio eletrônico desenvolvida em Ruby on Rails, como base de um novo sistema de loja virtual da Locaweb.

Nessa apresentação foram mostradas algumas técnicas de metaprogramação Ruby para lidar com as extensões do Spree e organizar melhor seu código.

Os slides da palestra “Locaweb + Spree: transformando código aberto em um projeto comercial” estão disponíveis nesse link:
http://www.slideshare.net/Prodis/locaweb-spree-transformando-cdigo-aberto-em-um-projeto-comercial

Quinta, 22 de julho

Neste dia, Daniel Lopes iniciou o “Mini-curso de Ruby e Rails”, introduzindo a linguagem de programação Ruby e os primeiros passos de Ruby on Rails. Essa primeira parte do curso teve duas horas de duração com a sala lotada.

Sexta, 23 de julho

“Lapidando Ruby” foi uma palestra muito interessante de Mauricio Szabo. Foram apresentadas algumas práticas para deixar seu código Ruby mais limpo, e outras técnicas para que seus testes fiquem mais claros e compreensíveis.

Os slides dessa palestra estão disponíveis nesse link:
http://www.slideshare.net/mauricioszabo/lapidando-ruby

A exemplo do dia anterior, a segunda parte do “Mini-curso de Ruby e Rails”, de Daniel Lopes, também teve sua sala lotada. O foco foi em montar uma aplicação simples em Ruby on Rails.

Sábado, 24 de julho

No último dia do fisl11, tivemos praticamente uma Maratona Ruby on Rails.

Para começar, Fabio Akita apresentou em duas horas “Ecossistema Ruby on Rails”, falando sobre o que se formou em volta do Ruby on Rails, como soluções completas em diversas áreas como deployment, e filosofias de empreendedorismo e desenvolvimento ágil.

Os slides dessa palestra estão disponíveis nesse link:
http://www.slideshare.net/akitaonrails/fisl-11-ecossistema-ruby-on-rails

Logo em seguida, tivemos mais uma apresentação do Fabio Akita, dessa vez sobre “Dicas de Desenvolvimento Web com Ruby”, onde foram mostradas algumas soluções simples para resolver o problema de lentidão de aplicações Web, por conta do entendimento pobre da arquitetura Web e suas alternativas.

Os slides dessa palestra estão disponíveis nesse link:
http://www.slideshare.net/akitaonrails/fisl-11-dicas-de-desenvolvimento-web-com-ruby

E o vídeo usado na apresentação está em:
http://dl.dropbox.com/u/1732133/dicas-de-desenvolvimento-web-com-rails.zip

E para finalizar a maratona, Daniel Lopes deu a terceira e última parte do “Mini-curso de Ruby e Rails”, finalizando a aplicação Ruby on Rails iniciada no segundo dia do treinamento e mostrando várias dicas interessantes sobre Rails.

Os slides de todo mini-curso estão disponíveis nesse link:
http://www.slideshare.net/danielvlopes/minicurso-ruby-e-rails

E o código fonte está em:
http://github.com/danielvlopes/fisl

.
Além disso, a galera do #HoraExtra esteve presente programando e publicando aplicações pequenas, desenvolvidas em Ruby on Rails, durante todo o fisl11. Mais detalhes do como isso aconteceu, você pode ver aqui.

Um abraço a todos os Railers que estiveram presentes ou que acompanharam virtualmente mais esse grande evento.

Eventos, Ruby , , , , , , , , ,

[fisl11] Sala de recepção dos palestrantes

25 de julho de 2010

O site do fisl11 trouxe várias notícias durante o evento.

Estava dando uma olhada nessas notícias e encontrei uma foto minha na sala de recepção dos palestrantes, onde conversei com um rapaz que trabalhava na comunicação do evento sobre minha apresentação.

Foto retirada do site do fisl11

Foto retirada do site do fisl11

Veja um trecho da notícia:

…Fernando Hamasaki de Amorim, da Locaweb, já está com sua palestra pronta e aguardando. “Transformando código aberto em um projeto comercial” às 20h na sala 41E de hoje.

Fernando pretende apresentar um estudo de caso onde ele irá relatar os desafios e dificuldades, vantagens e desvantagens em utilizar código aberto para criar um novo sistema. “Vou falar também de códigos aberto em detalhes e mostrar como se ganha dinheiro com software livre. O código é aberto, mas alguém ganha com isto”, explicou. Mais detalhes vale a pena conferir a palestra de Fernando.

.
Para ver a notícia completa, acesse o link abaixo:
http://softwarelivre.org/fisl11/noticias/sala-de-recepcao-dos-palestrantes-esta-lotada

Eventos , , , , , , , , ,

[fisl11] Slides da apresentação Locaweb + Spree: transformando código aberto em um projeto comercial

22 de julho de 2010

Veja os slides da palestra “Locaweb + Spree: transformando código aberto em um projeto comercial” que foi apresentada em 21/07/2010 no fisl11.

Agradeço a todos que estiveram presentes.

Eventos , , , , , , , , ,

[RailsConf 2010] Agilidade com estações de pareamento na Pivotal Labs

13 de julho de 2010

Ian McFarland, VP de Tecnologia da Pivotal Labs, uma empresa de desenvolvimento especializada em desenvolvimento ágil, apresentou na RailsConf 2010 a maneira de como eles aplicam metodologias ágeis no dia-a-dia na palestra Agile the Pivotal Way.

Um grande diferençal relacionado a programação pareada são as estações de pareamento, onde não há uma máquina específica para cada desenvolvedor.

Na Locaweb, temos duas equipes utilizando estações de pareamento e ainda estamos nos adaptando às mudanças que isso traz, tanto em relação ao lado operacional como na parte comportamental da equipe.

Vamos ver alguns pontos interessantes sobre isso da apresentação.

O dia na Pivotal Labs começa com todos os funcionários tomando café juntos e em seguida é feita a reunião diária (stand up meeting) de todas as equipes juntas. Um projetor exibe quem está trabalhando em cada equipe durante aquela semana.

Após isso, cada equipe faz sua reunião diária e iniciam o desenvolvimento em pares.

As estações de pareamento são equipadas com um monitor grande, dois teclados e dois mouses. Além disso, notebooks pessoais não são permitidos nessas estações.

Caso algum desenvolvedor deseje acessar e-mails ou outras coisas pessoais, pode fazê-lo na estação de e-mail, um computador compartilhado que fica em uma mesa mais alta, sem cadeira, para as pessoas utilizarem em pé.

Outra coisa interessante que ajuda no desenvolvimento pareado é a área de trabalho da empresa. Ela é ampla, com espaço para as pessoas se movimentarem, monitores de integração contínua visíveis, Product Owners pertos das equipes e acessíveis, uma biblioteca com livros impressos e digitais. Além disso, há uma área de recreação (longe da área de trabalho) com mesas de ping pong.

A Pivotal Labs tem uma mentalidade de manter os desenvolvedores felizes, pois isso aumenta a produtividade do trabalho e há um maior interesse das pessoas em buscar inovações. Tanto que às quarta-feiras são realizadas as Tech Talks, apresentações realizadas pelos próprios desenvolvedores e que são gravadas e compartilhadas no site da empresa.

Não existem times especializados, então há uma troca de desenvolvedores entre equipes. Por exemplo, não existem um papel de Q.A. (Quality Assurance).

As equipes são formadas por no máximo três pares, com uma rotação constante entre os desenvolvedores para a comunicação entre eles se manter ativa. Mais que três pares por equipe se torna inviável, pois aumenta a quantidade de combinações entre os desenvolvedores e consequentemente nem todos ficam sabendo de tudo sobre o projeto.

Para essa rotação funcionar, as máquinas de pareamento possuem uma configuração padrão para cada o projeto. Isso é essencial para não haver perda de tempo. Quando os projetos são finalizados, as estações de pareamento são remanejadas para outros projetos.

Em geral, o desenvolvimento na Pivotal Labs é 100% pareado, inclusive quando há a necessidade de se realizar pesquisas na Internet ou documentações.

Eu perguntei se havia espaço para home-office e o Ian respondeu que isso somente acontece em casos muito específicos, acabando não sendo uma opção da empresa. Inclusive, todas as pessoas trabalham no mesmo horário.

Nessa palestra teve muito mais coisas interessantes, como:

  • Os benefícios da programação pareada
  • A importância de testes automatizados
  • Ferramentas para facilitar a comunicação
  • Interação entre clientes e desenvolvedores
  • Eventos regados à comida, como o café da manhã e celebração de conquistas
  • Como eles contratam novos desenvolvedores
  • A importância de segurar bons desenvolvedores na empresa
  • As filials da Pivotal Labs
  • Mais sobre agilidade e seus benefícios

Se você é adepto de metodologias ágeis ou está interessado em saber como isso funciona através de um caso real, recomendo que você assista a reprise da palestra da RailsConf 2010 que o Ian fez na Tech Talk.

Os slides da apresentação você pode baixar aqui.
.
Post original:
http://blog.locaweb.com.br/archives/3983/railsconf-2010-agilidade-com-estacoes-de-pareamento-na-pivotal-labs

Eventos , , , ,

[fisl11] Confirmadas data e hora da palestra Locaweb + Spree

12 de julho de 2010

Está confirmada data, hora e sala da minha palestra “Locaweb + Spree: transformando código aberto em um projeto comercial” no fisl11.

A apresentação será no dia 21/07 às 20h na sala 41-E fisl 5.

Veja também:

Eventos , , , , , , , , ,

[fisl11] Minha proposta de palestra foi aceita

21 de junho de 2010

Nos dias 21 a 24 de julho, será realizado em Porto Alegre o fisl11, o 11º Fórum Internacional de Software Livre.

O FISL é o maior evento de software livre da América Latina e a edição do ano passado atingiu a marca de 8.244 participantes.

Entre os assuntos que serão abordados, estão:

  • Linux, Ubuntu, KDE, BSD
  • Desenvolvimento em Ruby, Java, PHP, Python, Perl e Smalltalk
  • Desenvolvimento de Jogos, Multimídia e Streaming
  • Gerenciamento de Dados (SGBD, Storage, backup…)
  • Hardware, Sistemas Embarcados e Robótica
  • Segurança
  • Software livre e negócios
  • Educação e Inclusão Digital

Minha proposta de palestra “Locaweb + Spree: transformando código aberto em um projeto comercial” para o fisl11 foi aceita.

Segue o resumo da palestra:

Os desafios, benefícios, dificuldades e lições aprendidas que a equipe de desenvolvimento de SaaS da Locaweb teve na utilização do Spree, uma plataforma de comércio eletrônico de código aberto, como base de seu novo sistema de loja virtual multi-usuário, desenvolvido em Ruby on Rails. O poder e o dinamismo do Ruby tiveram destaque, com grande utilização de metaprogramação nas extensões do Spree.

Eventos , , , , , , , , ,

Jim Webber faz consultoria na Locaweb

5 de maio de 2010

Jim Webber possui uma vasta experiência em arquitetura e desenvolvimento de Web Services. Atualmente está trabalhando na ThoughtWorks de Londres e finalizando seu novo livro REST in Practice: Hypermedia and Systems Architecture, que tem previsão de publicação para setembro desse ano.

Durante toda essa semana, ele está na Locaweb prestando consultoria para as equipes de tecnologia da empresa.

Eu e Jim Webber na Locaweb

Ontem foi a vez da equipe de SaaS, a qual eu faço parte. Mostramos a ele nossos sistemas, arquiteturas, tecnologias, formas de trabalho, desafios, etc. Também falamos dos nossos problemas atuais e, é claro, fizemos um monte de perguntas.

O Jim nos ajudou com algumas dúvidas e nos propos vários soluções e caminhos que podem ser tomados. Ele é um cara bastante extrovertido e simpático. Passamos o dia todo conversando e foi uma experiência muito boa para toda a equipe.

Eu particularmente tive um desafio pessoal, pois apresentei ao Jim o atual projeto de Comércio Eletrônico que estamos desenvolvendo. Foi minha primeira apresentação em inglês e logo para um renomado expectador. Bom, pelo feedback dos meus companheiros de equipe, e do próprio Jim, tudo ocorreu bem.

Arquitetura, Ruby, TDD , , , , , , , , ,

fisl10 - Por que Python?

6 de julho de 2009

O palestrante Marco André Lopes Mendes iniciou a apresentação dizendo que iria tentar convencer quem estava assistindo a usar Python.

Ele mostrou dez razões (que viraram doze) para aprender Python.

Leia mais…

Eventos , , , , , , ,

fisl10 - TDD e Rails: Mais rápido, mais forte e melhor

30 de junho de 2009

A primeira apresentação que assisti no fisl10 foi muito boa. Lucas Húngaro mostrou formas de criar aplicações Ruby on Rails com testes, passando um pouco da sua experiência em desenvolvimento Web.

Lucas Húngaro

A palestra foi dividida em quatro partes: Fundamentos, Abordagens, Como eu desenvolvo com testes no Rails e Dicas. Mas separei aqui em mais duas: Boas Práticas e Maus Sinais.

Leia mais…

Eventos, Ruby, TDD , , , , , , , , , , , , ,